Se a proposta  de Reforma da Previdência do governo Temer passar, milhões  brasileiros  não vão mais conseguir  obter sua aposentadoria. Muitos terão que trabalhar até morrer, sem conseguir se aposentar.

Com a reforma, as aposentadorias e as pensões vão perder valor. Os valores a serem pagos sofreriam forte redução e deixariam de ser vinculados ao salário mínimo, ou seja, os reajustes do SM não seriam mais usados para corrigir as aposentadorias.

Em 2015, 55,1%  das pensões tinham o valor de um salário mínimo (35,7% do total pago). Com a reforma, rapidamente a maior parte das pensões terão valores menores que o salário mínimo.

Veja quais são as principais alterações:

 

COMO É HOJE: COMO VAI FICAR:
Reajustes vinculados ao salário mínimo. Desvinculação. Os reajustes não seguirão o do salário mínimo.
 

Viúvas: pensão integral.

60% do valor calculado, mais 10% por filho menor de idade. À medida que cada filho complete 21 anos, a pensão perderá 10% do valor.
É permitida a acumulação de aposentadorias e pensões. Fica proibida a acumulação de pensões e aposentadorias. O pensionista ou aposentado terá de optar por apenas um benefício. Exemplo: Se uma trabalhadora já aposentada fica viúva, terá de optar entre o seu benefício ou a pensão do marido. Não poderá acumular.

 

  • Fonte: Dieese

 

*Este é um resumo das principais alterações propostas pela PEC 287, que

institui a Reforma da Previdência. Para mais detalhes e casos especiais,

procure o seu sindicato ou consulte a íntegra do texto oficial, comentada

pelo Dieese.

http://www.dieese.org.br/notatecnica/2017/notaTec168Pec.pdf