Em SP, movimentos irão à Paulista no dia 15 para defender a aposentadoria

Escrito por: CUT-SP – Vanessa Ramos

A CUT, demais centrais, sindicatos e movimentos que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizam em 15 de março o Dia Nacional de Paralisação e Mobilização. Em São Paulo, haverá um ato no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, a partir das 16h.

A luta é contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata sobre a reforma da Previdência. Sem discussão com a sociedade civil, a medida pretende igualar a idade mínima de 65 anos entre homens e mulheres e estabelece 49 anos de contribuição ininterrupta para o recebimento da aposentadoria integral.

Paralisações, assembleias nas portas dos locais de trabalho, atrasos na entrada, passeatas e manifestações ocorrerão durante o dia em todo o Brasil. Em São Paulo, os movimentos organizam ações na capital e no interior.

Presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo afirma que em 2017 as lutas serão ampliadas e é momento de mobilizar os trabalhadores para cruzarem os braços em protesto contra as medidas retrógradas do governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB).

“Estamos realizando audiências públicas, plenárias nos sindicatos, panfletagens e todas as ações necessárias para alertar a classe trabalhadora e toda a sociedade contra os prejuízos que a reforma da Previdência pode provocar. Estaremos nas ruas contra essa reforma perversa e cruel que os golpistas querem impor”, diz o dirigente.