Ônibus da CUT-PE denuncia: reforma da Previdência prejudica trabalhadores

Com objetivo de conscientizar a população sobre as consequências negativas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 006/2019 na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras e coletar assinaturas para o abaixo-assinado contra a reforma da Previdência de Jair Bolsonaro (PSL), a CUT-Pernambuco e a Escola Sindical Nordeste colocaram o ônibus da Central nas ruas do Estado.

A ação da CUT-PE tem repercutido entre a população e os movimentos sociais locais. Quando o ônibus chega às praças, igrejas, ruas dos bairros para dialogar diretamente com a população, muitos se aproximam para pedir informações.

“Nós fizemos a avaliação de que é urgente o contato com a população para esclarecer o que é esse projeto, que dificulta a aposentadoria e reduz o valor do benefício”, afirmou o presidente da CUT Pernambuco, Paulo Rocha.

“Bolsonaro já assumiu que não nasceu para ser presidente, mas faltou tirar este projeto de cena e parar de passar vergonha, porque já é o presidente mais rejeitado desde 1990”, completou o presidente da CUT Pernambuco.

Segundo Paulo, os vídeos veiculados no ônibus, explicando o que é a reforma da Previdência de Bolsonaro, a cartilha e o panfleto que estão sendo distribuídos, a calculadora do Dieese, o chamado Aposentômetro, e o diálogo da direção com a população estão fazendo a diferença.

“Estamos acumulando forças para barrar esta reforma da Previdência do Bolsonaro que acaba com a previdência social, do jeito que ela é hoje, mas também estamos dialogando com a população que precisamos barrar as Medidas Provisórias 873 e 871, que, consecutivamente, prejudicam o financiamento sindical e a aposentadoria do povo do campo”, diz Paulo.

A gente não pode permitir tanta maldade contra a classe trabalhadora

– Paulo Rocha

As regiões mais próximas da capital e também as mais carentes, como Morro da Conceição, Largo da Paz, Parque Urbano da Macaxeira e a Padre Lemos são os locais que já estão na programação do ônibus da CUT para esta semana.

Segundo o secretário de Comunicação da CUT Pernambuco, Fabiano Moura, a população está gostando muito da ação com o ônibus e a procura dos movimentos sociais para ampliar a ação para outros lugares só cresce. Fabiano confirmou que já estão conversando sobre rodar as cidades do interior em maio.

“A gente tem percebido que as pessoas não conhecem a reforma de Bolsonaro e compraram o discurso de que é para acabar com privilégios. Quando a gente mostra os materiais e conversa sobre os verdadeiros objetivos desta reforma as pessoas assinam o abaixo-assinado na hora”, contou Fabiano.

Nas primeiras horas de ação do ônibus, na última quarta-feira (4), mais de 400 pessoas assinaram o abaixo-assinado, que a CUT e demais centrais sindicais vão entregar para o Congresso Nacional em maio.

Outra coisa bastante procurada nesta ação, conta Paulo, é a calculadora do Dieese, o Aposentômetro, que mostra como seria para você se aposentar hoje e depois como será caso a reforma da Previdência de Bolsonaro seja aprovada por deputados e senadores.

As pessoas ficam de arrancar os cabelos quando descobrem que seu tempo de trabalho vai aumentar e seu beneficio vai diminuir, caso a reforma da Previdência de Bolsonaro seja aprovada

– Paulo Rocha

 

*Matéria originalmente publicada no site da CUT Brasil